Quarta-feira, 18 Junho 2014

por

ISabel

Quando era miúda, sentia que quem tinha quarenta anos já sabia tudo da vida e no fundo, estava mais perto daquilo que eu pensava que seria ser velho. Na minha família, com quarenta anos, já toda a gente tinha filhos e a vida encaminhada. A visão do mundo muda quando nos colocamos no lugar dos outros. Hoje tenho 41 anos.

  • O melhor e o pior

O melhor dos quarenta é que nos trazem mais segurança em termos pessoais, nas relações com os outros e na maneira como agimos e reagimos às coisas da vida. Trazem-nos ponderação. Confesso, que gosto de mim, com 41, assim como gostava com 30. Cada década tem um sabor especial.

O pior, é sentir a finitude do tempo. Já não se vai mudar o mundo. É urgente fazer o que se sonha e de preferência agora, não daqui a dois ou três anos. O peso dos quarenta é uma realidade. Se aos vinte se recupera de uma noitada com uma noite bem dormida, aos quarenta talvez sejam precisas duas ou três. Os sinais do tempo a passar por nós começam a fazer-se sentir nestas pequenas coisas. Quando olhamos para os outros e achamos que envelheceram, é sinal que nós também.

  • As surpresas e as desilusões

As surpresas, é continuar apaixonada pela vida e deixar que esta nos surpreenda. Todos os dias têm coisas boas, cabe-nos a nós ter o espírito afinado para as encontrar.

Não me sinto desiludida aos quarenta. As coisas são o que são. Sinto-me grata com a vida.

  • As conquistas e as perdas

Os quarenta trouxeram-me coisas boas. Publiquei o meu primeiro livro, Cozinha para Dias Felizes. Mostraram-me também um caminho. Descobri que sou feliz a cozinhar e a escrever sobre comida. Como é que eu não vi isto antes? É mais que sabido que o caminho que temos que percorrer não é, para muitos, uma recta.

O que se perde aos 40? Talvez um pouco de paciência, principalmente com pessoas ou atitudes que não valem a pena. Aos 40 temos mesmo que distinguir o essencial do acessório, o que é importante manter e lutar, e aquilo que deve seguir o ritmo normal da vida.

  • Recados para mim aos 20

Quando olho para trás e penso nos meus 20 anos o recado que daria a mim mesma, é o que hoje também tento passar aos meus alunos. Uma das perguntas que no início de cada ano letivo faço aos meus alunos é, sendo finalistas, quais são os seus sonhos? Que escrevam numa folha três ou quatro sonhos que gostariam de concretizar. A vida sem sonhos não tem piada. E os sonhos que se têm aos 20 podem ser para a vida. Por isso, sonhem. Estudem. Aprendam e acreditem que é possível.

  • Votos para mim aos 50

Os 50? Ainda falta tanto tempo! Até lá, espero continuar a experimentar e a testar receitas novas e diferentes, como a que hoje vos trago, uma receita de salada de quico e queijo com pesto de chocolate que desenvolvi para um artigo sobre pratos salgados com chocolate na edição de Abril de 2014 da revista Saber Viver.

………………………………………………….

Obrigada, Isabel. Pela participação e pela receita!

Para participar no nosso questionário ‘Ter 40′, basta enviar as respostas por email. Saibam mais aqui. Até já.

Marta

Tags:

· · · ◊ ◊ ◊ · · ·

Deixe o seu comentário

Questionário ‘Ter 40′