Domingo, 8 Março 2015

por

IMG_6020

Queridas Senhoras,

gostaria de ter para vos apresentar o relato de um magnífico passeio de fim-de-semana em família nesta Primavera antecipada a que tivemos direito. O tempo esteve perfeito, nem uma nuvem no céu. Adivinhem o que falhou. O que falha sempre: o nosso sentido de orientação.

Somos oficialmente uma desgraça. Naturalmente, não usamos GPS. Há 15 ou 20 anos, fomos os últimos a ter telemóvel. Hoje somos os únicos que ainda consultam mapas de estradas em papel. E de há 10 anos, provavelmente. Toda a gente resolve a vida com aplicações nos telefones. Nós aplicamo-nos em complicar a nossa.

O nosso veículo não faz absolutamente nada. A não ser andar. Não tem ar condicionado, direcção assistida ou qualquer elemento de ajuda à navegação. Mas a culpa não é do carro. É dos condutores. Já aqui falei de como somos capazes de nos perder a menos de 50 km de casa e em estradas que já percorremos dezenas de vezes. Conseguimos sempre superar-nos. Isto não melhora com a idade! (Julgo que até tem piorado.)

Se em deslocações de automóvel não tenho ilusões, a andar a pé tenho alguma confiança. Afinal é isso que faço todos os dias, é o meu meio de locomoção preferido. Mas a verdade, verdadinha, é que não tenho (temos) qualquer experiência em caminhadas por trilhos, no meio da Natureza. É algo que adoraria fazer com frequência mas não se tem proporcionado.

Hoje, porém, tentámos seguir um trilho nas Salinas do Samouco, em Alcochete.

[Aqui faço um parêntesis para dedicar este passeio à Paula, a nossa Senhora benjamim. O Samouco é um lugar especial para nós, muito presente nas nossas conversas diárias quando trabalhávamos juntas. Paula, também fiz isto por ti.]

Dizia eu que tentámos seguir o trilho. Mas seguimos mal. Não soubemos interpretar os sinais. Literalmente. Tivemos que ligar para a recepção e admitir que estávamos perdidos. O senhor mandou-nos voltar para trás. Depois disse que nunca tinha acontecido com ninguém. (Mas ele estava a exagerar . Atrás de nós apareceu um casal que também se desviou do trilho certo. Ou fomos nós que os levamos ao engano…)

Felizmente, acabou tudo em bem. Ou eu não estaria aqui a relatar o magnífico passeio de fim-de-semana em família nesta Primavera antecipada a que tivemos direito. E, afinal, até acabámos por avistar os flamingos.

IMG_6057
Às vezes, lá conseguimos ver direito por caminhos tortos.

Beijinhos a todas,

Céu

Tags: ,

· · · ◊ ◊ ◊ · · ·

3 comentários a “GPS – Gloriosamente Perdidos e à Solta”

  1. [...] escrevi no penúltimo post, tenho alguma dificuldade em chegar aos sítios. Por essa razão, e para minha vergonha, nunca [...]

  2. Céu diz:

    É isso tudo. Mas que Rosário é esse de que falas, pá? É o Gaio Rosário na Moita? Porque te lembraste desse lugar? O que há lá??? Conta!

  3. Paula diz:

    O Samouco, a par com o Rosário, a Trafaria… haveria tanto a dizer sobre estas localidades à beira-rio, Coutinha. E então sobre os restaurantes clássicos que ali se encontram, a servir gerações e gerações aos almoços de domingo. Enfim, é isto que levamos de melhor, não é?

· · · ◊ ◊ ◊ · · ·

Deixe o seu comentário

Questionário ‘Ter 40′